Sejam Bem-vindos Ao Meu Blogue!

Escrever é muito mais do que uma mera paixão, é uma parte de mim!
Na poesia, os pensamentos, as ideias e as emoções ganham vida própria, deixam de ser uma parte do autor e rompem a fronteira do "eu" , abraçando, assim, outras realidades, outras vidas.
Nélson J. Ponte Rodrigues

domingo, 28 de dezembro de 2014

Lascívia

Despe esse teu roupão cor-de-rosa. Não há tempo para a prosa.
Quero ver a tua silhueta enquanto rasgo a tua lingerie vermelha e preta.
Vou quebrar essa horrenda ampulheta
Que observava todos os dias e guardava à noite na mesma gaveta.

Não posso esperar, pois o tempo não vai parar. Ele não perdoa e, neste caso, até magoa.
Já gastei tempo demais! Talvez não tenhas entendido ainda a voracidade dos meus "singelos" sinais.
Sinto a felicidade a desvanecer entre os meus dedos dia após dia. Só Deus conhece a minha severa agonia.

Não sou, habitualmente, homem de decisões radicais.
Talvez, por isso, não tenha sucumbido ainda a estes fortes desejos carnais.
És a fome que quero matar, a sede que pretendo saciar, o delírio que pretendo tornar real, a tentação à qual me vou entregar. Não tenho tempo a perder. A tua resposta preciso conhecer.

Despoletas em mim um desejo sem fim.
Acredita em mim! Diz... sim!
Sei que não sou rei de quase nada mas, certamente, ao meu lado serás sempre bem-amada, uma fruta que nas quatro estações será sempre apreciada...
Deixa-me entrar dentro de ti, ser a comichão que coloca o teu corpo em frenesim.

Ninguém espera tanto tempo por alguém.
Eu esperei, pois o meu mundo não pertence a mais ninguém.
Com tanta gula, desejos por saciar, posso ceder à loucura.
Por outro lado, receio a súbita e fatal amargura!
Rende-te às (minhas) evidências, deixa a descoberto as tuas proeminências.

Não quero beijos de fraternidade nem de incomensurável amizade.
Quero possuir – te nos meus braços, acalentar o teu regaço.
Não me peças um ombro amigo, o que realmente quero é dormir contigo.
Esquece as confissões e desamores, tanto ouvi que mereço distintos louvores.

Não me digas que é tarde demais, que é mais uma das minhas brincadeiras habituais.
Tu não entendes que enlouqueces o meu ser?!
És a mulher que qualquer homem sonha ter.
Para alguns homens podes ser um mero corpo ou adorno, para mim és autêntico oiro.

No meio desta erupção, isto é, esta louca paixão, sinto uma selvática ereção.
Portanto, só penso no dia em que ouvirei os teus gritos de prazer, sentirei o teu corpo a arder, observarei as tuas pernas a tremer...
Nos meus sonhos, gemes junto ao meu ouvido enquanto os meus lábios humedecem o teu umbigo.

Posso deitar tudo a perder. Por outro lado, é melhor perder do que nunca ter.
A lascívia está por todo o lado… quer esteja de pé ou deitado.
A libido que transborda neste corpo já não quer saber!
A vontade associou-se ao desejo e o anseio transformou-se em puro desespero… Preciso do teu tempero. Já perdi o norte e o sul, a razão e a ponderação.

Esta é a enésima vez que me coloco diante dos teus pés mas, desta vez sem receios ou floreios.
Vou beijar-te na boca, rasgar a tua roupa. Quero deixar-te louca. Todavia, se tal não se proporcionar…
O máximo que poderá acontecer é levar uma forte bofetada, mas, pelo menos, não mantive a minha vontade calada!

Por vezes, temos de sair da soalheira encosta para descobrirmos a resposta!
Quem não faz perguntas com exatidão, corre o risco de morrer na escuridão.
Pior do que o medo é a ignorância, fiar-se nas discrepâncias.
Aquele que não procura a verdade nem enfrenta a realidade, não vive de verdade.

Nélson José Ponte Rodrigues
27/28-12-2014



Sem comentários:

Enviar um comentário