Sejam Bem-vindos Ao Meu Blogue!

Escrever é muito mais do que uma mera paixão, é uma parte de mim!
Na poesia, os pensamentos, as ideias e as emoções ganham vida própria, deixam de ser uma parte do autor e rompem a fronteira do "eu" , abraçando, assim, outras realidades, outras vidas.
Nélson J. Ponte Rodrigues

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Tu És Incrível! Acredita!

Prefiro o silêncio ao ruído das palavras. E tu? O que preferes? Muitos limitam-se a reproduzir palavras saturadas e ocas; poucos são aqueles que surpreendem. O eco é ensurdecedor! 
A exuberância e a simplicidade são perfeitamente antagónicas. No entanto, algumas pessoas conseguem caminhar na fronteira ténue que as separam. Logo, o extraordinário fascina-me. Tudo o resto... É isso mesmo, um resto, por vezes, um mero dejeto. 
A idade fustiga a beleza, mas enobrece o ego, fortalece a autoestima, filtra as "impurezas"...
O que não acrescenta, é supérfluo. Portanto, a maturidade ensina.

A vida é uma viagem. Nesta viagem, há lágrimas e júbilo. Aprende a afastar-te da falsa felicidade, do contentamento descontente...
Livra-te da bagagem em excesso. Aprecia e celebra a tua singularidade todos os dias. 
Começa, recomeça... não morras antes da tua hora chegar. Abraça-te. 
A vida é um fôlego. Aproveita os pequenos instantes insignificantes (as rotinas), a solidão, as conversas banais, o café que bebes todas as manhãs... Fá-lo na melhor companhia possível. E quem é? Tu és essa pessoa. 
Tu és insubstituível. Repete! Outra Vez! Acredita! Não há mundo nem pessoas se por cá não estiveres. 
Por vezes, encontramos alguém digno do mesmo ar que nos rodeia... 

A vida tem várias paragens, cais e apeadeiros e neles encontrarás amigos, inimigos, colegas, conhecidos, desamores e talvez um grande amor. Nesta viagem finita, poucos ou nenhuns te irão acompanhar ao longo da (tua) vida. Ao longo de cada etapa, alguns ficam, outros vão, uns regressam, outros desaparecem. A vida é mesmo assim! Quase tudo possui um início e um fim. Não desanimes! E nunca percas a vontade de conhecer novas pessoas, novos horizontes. 

Relativamente ao amor, deixo-te uma sugestão: não procures "o/a tal" e serás encontrado(a)!
Não obstante, existimos com ou sem alguém ao nosso lado. É um facto! Nem todos encontram a tal pessoa especial. Por conseguinte, não invistas muito tempo numa odisseia incerta. Investe em ti! Viaja, estuda, escolhe um passatempo, uma atividade que te dê prazer... 

As relações humanas acontecem naturalmente. Faz o que tens de fazer, quando o tens de fazer. Não queiras integrar personagens na tua história a todo o custo. Isso implica um tremendo desgaste físico e mental. Esquece! A tua vida não é uma série de televisão ou uma novela. Não há guiões! Deixa o destino surpreender-te.

Sentimentos forçados, a carência afetiva, a baixa autoestima e qualquer tipo de dependência só proporcionam amargura e deceção embora o negues inicialmente.
Sê forte e não te esqueças que muitos já perderam a oportunidade de viver. 
Se estás a ler este texto, sorri, salta, expressa alguma alegria, pois ainda estás a bordo. Aproveita bem a viagem. Mais tarde, só estarás vivo nas memórias de alguns. 
Aproveita bem o intervalo entre a vida e a morte. Tudo termina. O sofrimento também. Admiro aquelas pessoas que superam as brutais adversidades da vida quase de forma quase instantânea. 
Desperdiçar a vida deveria ser considerado um crime, uma ofensa, um ato de pura demência...

Independentemente de quaisquer crenças ou religiões, qualquer um de nós pode renascer, transformar-se, mudar ao longo desta vida. Nesta vida há muitos canalhas e rameiras. Homens e mulheres ávidos de poder, popularidade ou dinheiro. Investem muito em fachadas e pouco ou nada na sua vertente humana. Perdem, assim, o seu lado humano. Poucos irão valorizar os teus valores morais, altruísmo ou caráter. Muitos te irão apedrejar (verbalmente) e condenar assim que tiverem uma oportunidade para tal. O ser humano tem um fascínio natural pela tragédia. Segue em frente! Poucos terão uma existência virtuosa, digna de registo ou condecoração. No leito final, não há distinções ou disparidades. Quando perdemos o nosso bem mais precioso, tudo o resto desaparece. 

Preserva o que gera alegria e motivação na tua vida e afasta-te de tudo aquilo que perturbe a tua paz e bem-estar. Limita-te a enfrentar o que realmente tens de erradicar da tua vida. 
As guerras que travas nesta vida são autênticas perdas de tempo e de energia. 
Acolhe o bem e aprende a ignorar aqueles que te usam ou menosprezam. O desprezo é a "vingança" dos sábios. A vida é mesmo assim. Habitua-te!

Nelson José Ponte Rodrigues
11-08-2016


Sem comentários:

Enviar um comentário